Oliveira e Tipos de Azeitona

A Oliveira

A Oliveira é uma árvore de porte médio, muito resistente, com raízes que atingem os 6 metros, sendo conhecidas cerca de 400 espécies. Tem crescimento lento e normalmente só entra em produção a partir do quinto ano. Dentro da espécie Olea europea L. encontram-se diversos grupos de cultivares, espalhados por diferentes zonas oleícolas.
As cultivares de maior importância utilizadas em Portugal são a Galega, a Carrasquenha, a Cordovil, a Cobrançosa e a Verdeal, entre outras. A oliveira, dada a sua rusticidade, encontra-se muitas vezes em terrenos onde nenhuma outra planta resistiria. Mas quando a oliveira é tratada como uma verdadeira cultura as produções aumentam em quantidade e, em comparação com situações extremas, também em qualidade. Em média, uma oliveira dá 20 Kg de azeitonas, sendo necessários cerca de 5 a 6 Kg para produzir 1 L de Azeite.


Principais tipos de azeitonas em portugal

  • Carrasquenha

    Apresenta um rendimento médio a elevado em azeite e de boa qualidade. Geralmente utilizada para a preparação de azeitona de mesa verde (mas também utilizada em azeite).

  • Cobrançosa

    Originária de Trás-os-Montes, sua produtividade é elevada e constante e dá um bom rendimento em azeite, sendo este o seu principal destino. Azeite este que tem característica de ligeira a medianamente frutado, acentuando-se a ervas verdes. Subtilmente amargo e picante quando as azeitonas são colhidas mais verdes, mas mais doce e suave quando os frutos são colhidos mais maduros.

  • Cordovil

    Destinada tanto para produção de azeite e como de azeitona de mesa (muito apreciada azeitona verde), proveniente de Castelo Branco. O rendimento em azeite é médio e é apreciado pela sua elevada qualidade e pela abundância de ácido oleico. O azeite é muito rico em ácido oléico, é muito fino, com frutado intenso e característico, acentuado verde de folha e medianamente amargo e picante.

  • Galega Vulgar

    Destinada para produção de azeite e azeitona de mesa. É uma variedade que se dedica fundamentalmente à obtenção de azeite, apesar do baixo rendimento, e embora seja também apreciada como azeitona de mesa. É apreciada pela sua tolerância à seca. É sensível ao frio, à salinidade e ao calcário. A produtividade é elevada e alternada. A maturação dos frutos ocorre muito cedo. A variedade mais comum da azeitona em Portugal é a Galega, povoando as Beiras, Alentejo e Algarve. O seu azeite é suave, doce, pouco amargo e pouco picante.

  • Galega

    Principalmente destinado para produção de azeitonas de mesa, mas também para azeite (apesar de franco rendimento em azeite). Essa variedade representa quatro quintos das olivas cultivadas em Portugal. Seu óleo possui aromas frutados, é doce e suave, tem sabor de frutos verdes e notas amendoadas. Quando as azeitonas são apanhadas verdes o azeite é subtilmente amargo e picante. Fruto próprio para conservar em azeitonas pretas.

  • Maçanilha Algarvia

    Pode ser utilizada tanto para obtenção de azeite, pelo seu elevado rendimento, como para azeitona de mesa, verdes ou maduras devido ao tamanho e calibre dos seus frutos. Fruto destinada à conserva em verde, devido à sua excelente qualidade como azeitona de mesa. O azeite obtido através deste tipo de azeitona é de boa qualidade.

  • Redondil

    Para produzir azeite e azeitona de mesa. Elevado rendimento em azeite, bem como pela sua qualidade e abundância em ácidos oleicos. Como azeitona de mesa, é apreciada pelo seu tamanho.

  • Picual

    Fruto normalmente só para azeite, dá um bom rendimento em azeite.
    É a azeitona que mais se prolifera pelo mundo e representa cerca de metade das oliveiras espanholas e 20% do resto do planeta. Seu óleo é rico em ácidos gordos e em antioxidantes naturais. A grande presença de polifenóis tornam-no num dos azeites mais estáveis.O azeite é bastante complexo com frutado intenso verde, amargo e picante, e notas marcadas de verde erva e giesta, maçã verde e frutos secos, dependendo muito do local onde as oliveiras se encontram cultivadas.Quando provém de planícies, o azeite é mais amargo e picante. Quando provém de regiões montanhosas o azeite é mais adocicado.

  • Verdeal

    A azeitona Verdeal adapta-se bem praticamente a todo o solo português. Utilizada para conserva em verde, mas principalmente para a extração de azeite, com um bom rendimento. Amadurece tardiamente. O azeite resultante é bastante fino, com um frutado marcante, persistente, com verde de folha e sabor bastante amargo e picante. Encontra-se tanto no Alentejo como em Trás-os-Montes.

  • Madural

    Uma das mais raras variedades de azeitona produzida em solo português, a Madural (também conhecida por negral) encontra-se essencialmente na região de Trás-os-Montes e é utilizado para produção de azeite.